Home » Espaço Aberto, Todas as notícias » Dia da Imprensa é dia de reafirmar as lutas dos jornalistas e da sociedade

Dia da Imprensa é dia de reafirmar as lutas dos jornalistas e da sociedade

Neste 1º de junho, “Dia Nacional da Imprensa”, a Federação Nacional dos Jornalistas exorta a categoria, as entidades e movimentos da sociedade civil a cerrarem fileiras na luta pelo direito à informação de qualidade. Para tanto, fazem-se necessárias, além da defesa das liberdades de imprensa e de expressão, a defesa do diploma como requisito para o exercício da profissão de jornalista, de condições dignas de trabalho, o combate à crescente violência contra os profissionais de imprensa e suas organizações sindicais e a luta por um novo marco regulatório para as comunicações no Brasil.

Celebrado desde o ano 2000, o Dia Nacional da Imprensa foi instituído pela Lei 9.831/1999, resgatando a data da primeira circulação do jornal Correio Braziliense, de Hipólito da Costa, em 1808, em contraponto à imprensa oficial do Brasil Império. Para a FENAJ este 1º de junho, mais do que uma data comemorativa, é um dia de reflexão e de luta pela necessária valorização do Jornalismo e dos jornalistas.

A FENAJ prepara o relatório de violência contra os jornalistas, com o registro de casos ocorrridos em 2011, num ambiente onde já se antevê, para 2012, o agravamento desta situação. Os fatos derrubam o discurso da plena liberdade de imprensa no Brasil. E nos relatórios que publicamos anualmente, evidencia-se que a motivação política lidera o ranking de agressões a jornalistas. Isto impõe, além da necessidade de aprovação de uma nova Lei de Imprensa, de conteúdo democrático, a aprovação do PL 1078/2011, que propõe a federalização da investigação de crimes contra jornalistas, medida necessária para combater a impunidade.

Concluir que a exigência do diploma para o exercício da profissão de Jornalista vai de encontro à liberdade de expressão foi uma das maiores agressões que a corte maior do país cometeu, não só contra os jornalistas, mas à inteligência do povo brasileiro. Cobrar do Senado Federal a votação e aprovação em 2º turno da PEC 33/2009, mais do que uma demanda corporativa de uma categoria, é um apelo para reparar à sociedade seu direito à informação com qualidade, que passa, necessariamente, pela qualificação do Jornalismo.

Tais demandas não têm o condão, por si sós, de aperfeiçoar o processo democrático brasileiro. Razão pela qual a FENAJ faz coro à reivindicação já posta por diversos setores organizados da sociedade civil, de que, com base no amplo debate já realizado na 1ª Conferência Nacional de Comunicação (CONFECOM), o governo apresente sua proposta de novo marco regulatório das comunicações como condição para democratização do setor no Brasil.

Brasília, 1º de junho de 2012.

Diretoria da FENAJ

Deixe um comentario

Current ye@r *

© 2013 TABOÃO EM FOCO · RSS · Site por Keone Midia Online