Home » Sociedade, Todas as notícias » Greve dos professores pode fazer que alunos das escolas estaduais de Taboão tenham aulas vagas nesta sexta (27)

Greve dos professores pode fazer que alunos das escolas estaduais de Taboão tenham aulas vagas nesta sexta (27)

Por Gilmar Júnior, direto da redação

Devido a greve parcial dos professores das escolas públicas do ensino estadual de São Paulo, alguns alunos que estudam nas escolas de responsabilidade do Governo do Estado de São Paulo em Taboão da Serra não terão aula nesta sexta-feira (26).

quadro escolarO Taboão em Foco entrou em contato com as 27 escolas estaduais do município e em algumas delas a confirmação é de que não haverá aulas em pelo menos um dos períodos de estudo. Os educadores que reivindicam aumento salarial e melhores condições de trabalho farão uma assembleia na Avenida Paulista, às 14h, para definir os rumos da paralisação.

Entre as escolas que confirmaram que não terão aulas nesta sexta, estão:

EE Francisco Damico (Jd. Saporito): terá funcionamento noturno apenas com os alunos do EJA (Educação de Jovens e Adultos);

EE Laerte de Almeida São Bernardo (Jd. St. Morritz): não terá aula para o período da manhã;

EE Laurita Ortega Mari (Jd. Clementino): os alunos não terão aulas na segunda-feira também;

EE Maria José Antunes Ferraz (Pq. Marabá): alunos da manhã e da tarde não têm aulas desde quarta-feira, sendo que o noturno tem aulas parciais;

EE Profª. Julieta Caldas Ferraz (Jd. Monte Alegre): aulas na segunda-feira ainda não estão confirmadas;

EE Profª. Maria Ap. Nigro Gava (Pq. Pinheiros): alunos do período vespertino não terão aula. Estudantes do período matutino e noturno devem entrar em contato com a escola para verificar se haverá aula;

EE Rev. Denoel Nicodemos Eller (Jd. Scândia): aulas somente para o 9º ano para manhã e somente para o 7º ano a tarde;

Algumas outras escolas terão aulas parciais ou de período reduzido devido ao número de professores que podem faltar. Confira quais são:

EE Antônio Inácio Maciel (Jd. Maria Rosa): alguns professores estão em greve podendo ocasionar aulas vagas;

EE Domingos Mignoni (Pq. Santos Dumont): com alguns professores estão em greve o que pode resultar em aulas vagas;

EE Dr. Reynaldo do Nascimento Falleiros (Jd. São Salvador): alguns professores estão em greve desde o começo da semana, mas as aulas continuam com os professores que não a aderiram.

EE Edgar Francisco (Jd. Guaciara): No período noturno, quatro professores, de um total de 11, se revezam para dar aula. Aulas a tarde e a noite ainda não estão confirmadas. A sugestão da escola é que os alunos compareçam a unidade de ensino para saber se vai ter aula ou não;

EE Francisco Vicente L. Gonçalves (Pq. Albina): Professores que não aderiram a paralisação e docentes substitutos se revezam entre as turmas. Devido ao número de educadores ante ao número de salas poderá ocorrer aulas vagas;

EE Gilberto Freyre (Jd. Leme): Parte dos professores está de greve, mas as aulas continuam;

EE Jornalista Wandyck Freitas (Pq. Assunção): Com a paralisação dos professores alunos podem ter aulas vagas;

EE Profº. Adenilson dos Santos Franco (Pq. Pinheiros): Algumas salas terão aulas e outras não devido ao baixo número de professores. A escola informou que os alunos levaram o comunicado da escola;

EE Profº. Alipio de Oliveira e Silva (Jd. Santa Rosa): Alguns professores entraram em greve. No noturno de um total de sete professores apenas um – às vezes dois – está indo dar aulas. Não está confirmado se haverá aula para todas as turmas;

EE Profº. Antônio Ruy Cardoso (Jd. Salete): Segundo a escola fica a critério dos pais e das mães enviarem os alunos, pois, certamente, os estudantes terão muitas aulas vagas. Conforme informou a EE, a diretoria de ensino deu a ordem de não liberar os alunos que forem ao local de ensino;

EE Rev. Almir Pereira Bahia (Jd. Santo Onofre): Aulas do matutino não estão confirmadas. Períodos vespertino e noturno terão aulas;

EE Zeicy Apparecida Nogueira Batista (Jd. das Oliveiras): Com a presença de alguns professores em assembleia, alunos poderão ter aulas vagas;

Já outras escolas afirmam que adesão da greve foi baixa e até mesmo, não atingiu o quadro de professores que seguem com as atividades regularmente, sendo elas: EE Profª. Lúcia de Castro Bueno (Pq. Pinheiros), EE Profª. Neusa Demétrio (Jd. Mituzi) e EE Profª. Silvia Aparecida dos Santos (Jd. São Judas). Já as secretarias das escolas EE Dep. Heitor Cavalcante A. Furtado (Jd. Freitas Jr.), EE José Roberto Pacheco (Jd. Frei Galvão), EE Maria Catharina Comino (Jd. Irapuã), EE Profº. Fernando Milano (Pq. Laguna) e EE Profº. João Caly (Cidade Intercap) foram procuradas, mas não foi obtido retorno.

Em meio aos pedidos dos professores, está o reajuste de 75,33% no salário, aceleração no processo de aposentadoria, máximo de 25 alunos por sala e até mesmo, segundo consta no informe da Apeoesp (Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo), a cobrança de água nas escolas. A Assembleia dos docentes acontece às 14h no vão-livre no Masp (Museu de Arte de São Paulo) na Avenida Paulista.

Deixe um comentario

Current ye@r *

© 2013 TABOÃO EM FOCO · RSS · Site por Keone Midia Online