Home » Todas as notícias » Líder, presidente e mais dois vereadores da base aliada reclamam do prefeito Fernando

Líder, presidente e mais dois vereadores da base aliada reclamam do prefeito Fernando

Por Allan dos Reis, n Jardim Helena

Faltando quatro meses para as eleições municipais, os principais vereadores da base governistas reclamaram (mais uma vez) da forma que são tratados pelo prefeito Fernando Fernandes (PSDB) e o seu grupo político. Os focos das críticas estão na falta de privilégios em relação aos pré-candidatos sem mandato e a demora de cumprir alguns compromissos em suas bases eleitorais.

Presidente da Câmara, Cido, o líder do governo Eduardo Nóbrega e os vereadores Marcos Paulo e Ronaldo Onishi reclamam do prefeito Fernando Fernandes.

Presidente da Câmara, Cido, o líder do governo Eduardo Nóbrega e os vereadores Marcos Paulo e Ronaldo Onishi reclamam do prefeito Fernando Fernandes.

O primeiro a revelar a sua insatisfação foi o vereador Eduardo Nóbrega (PSDB) durante o final de semana pelas redes sociais ao se deparar com um jornal de um pré-candidato a vereador do PPS distribuído na região do Parque Pinheiros.

“Será que o marqueteiro político pode ser tão estúpido ao ponto de não entender e respeitar as alianças políticas existentes? Será que um rompimento dos que já são, não trará mas malefícios que um possível resultado positivo daquele que poderá ser? A não ser que a situação seja desesperadora e eu não sei?”, publicou Nóbrega.

Porém, o caso voltou à tona na sessão quando o vereador Marcos Paulo (PPS) revelou que está se sentindo traído e vai “utilizar aquele colete [à prova de balas] que o vereador Nóbrega está usando [quando citou que estava recebendo tiros pelas costas de membros do governo]”. Ele não gostou de ver uma liderança da sua igreja [Ministério do Belém] em um ato do vereador Carlinhos do Leme (PSDB) e o prefeito.

“Às vezes você procura resolver algumas questões de forma interna e não sai, a gente começa a entender. Ou não querem nos fortalecer ou nos dá atenção. Raramente evito falar publicamente das demandas. […] Não quero brigar, quero conversar. Mas estou mandando claramente a minha insatisfação. […] Eu preciso entender se tem gente da oposição que está vindo para o governo e ameaça vereador e não se quer conversar para tratar o assunto, alguma coisa está acontecendo. Vamos pontuar a importância deste vereador, da nossa igreja, do nosso grupo”, reclamou Paulinho, como é conhecido.

Paulinho não gostou de ver uma liderança da sua igreja apoiando o vereador Carlinhos do Leme com anuência do governo.

Paulinho não gostou de ver uma liderança da sua igreja apoiando o vereador Carlinhos do Leme com anuência do governo.

Em seguida, o líder do governo foi à tribuna reforçar o discurso da importância dos vereadores para o atual governo e que não “vai para o abatedouro sem berrar”.

“Somos importantes, muito importante no cenário [político] que se apresenta. Quero ver como será difícil olhar para o espelho no dia 2 [de outubro] e o espelho dizer: covarde, não fez o que deveria ter feito. Ao contrário, fez média. Tentou se aproveitar daquele que alertaram. Comigo, sem vaselina não vai. Se for para retirar o meu mandato aguardando o silencio, que eu vá para o abatedouro como um carneiro ajoelhado, escolheu o carneiro errado. Dizem que o bom cabrito não berra, o cabrito que não berrar aqui vai para o abatedouro, vai perder o pescoço e dia 3 [de outubro] não adianta falar mais”, protestou Nóbrega.

Sem citá-lo nominalmente, o líder voltou a reclamar do secretário de comunicação Daniel Borges e pediu a sua retirada da coordenação da campanha a reeleição do prefeito. “Peça para a cariocada parar de puxar o X e o S, porque puxa o S demais para o meu gosto. Nunca ganhou um voto nesta cidade. Eu colocaria vossa Excelência [Secretário Cândido Ribeiro] e o Doriana como coordenadores da campanha. Ai vamos ter mais ponderações. […] Vossa senhoria desconhece que aqui existe uma presidência? Vou te dar um exemplo. Sabe quem faz pauta? É o presidente da Câmara. O outro caminho para se passar projeto aqui é se tiver nove votos para entrar em regime de urgência. Antes tem que passar pelas comissões. Projetos não te preocupa? Então de repente fiscalização te preocupa”, discursou Nóbrega.

Depois foi a vez do presidente Cido (DEM) reclamar que o atual governo que não respeita os vereadores e o tamanho de cada um. Ele também falou das ações de alguns pré-candidatos.

“Eu me sinto pouco reconhecido pelo governo. Não só na condição de presidente. A gente espera que o seu tamanho [dentro do governo] seja de acordo com o seu mandato. Eu sinto que eu cresci na cidade. Me sinto em muitos momentos desrespeitado dentro da minha significância na cidade. Eu acho que o pré-candidato tem sim que buscar o seu voto na rua. […] Eu vejo nas redes sociais, pré-candidato como se já tivesse eleito e pudesse deliberar sobre ações na cidade”, reclamou Cido.

E quem encerrou a série de críticas foi o vereador Ronaldo Onishi (SD), que focou no fato do governo ter fortalecido alguns grupos e partidos políticos para disputar as eleições municipais.

“Eu também sinto essa falta de valorização. Também nos critiquem por nossa postura, mas nunca este parlamentar falou uma coisa e fez outra. Nunca prometi algo e não entreguei. As vezes, somos cobrados por essa postura. Sabemos fazer política e fazer campanha. Sabe pedir votos nas ruas. Ninguém está brincando. […] Uma coisa que estamos aprendendo com a política é enxergar. E a gente enxerga o jogo. Enxerga o fortalecimento de certos grupos, o fortalecimento de certas pessoas. Estamos observando. Quero me solidarizar aos vereadores”, disse Onishi para finalizar a sessão.

One Response

  1. João disse:

    Enxergam o jogo é os problemas da cidade e nada fazem! Passam 04 anos, mais 04 anos e o que estes vereadores querem é apenas se manter nos cargos políticos já que a única coisa que resta para eles (profissão político). Ganham $10,000 por mês, empregam um monte de gente na câmara e na Prefeitura (sem concurso público) para ajudarem nas campanhas eleitorais e redes socias. Que desperdício de dinheiro público! E ainda vem me falar em “respeito pela sua insignificância”? Faça nos o favor vereador! É a sua obrigação trabalhar e todos os dias pelo bem do nosso Município! Você recebe dinheiro público para isso! Para de falar besteira e vai trabalhar.

Deixe um comentario

Current ye@r *

© 2013 TABOÃO EM FOCO · RSS · Site por Keone Midia Online