Home » Todas as notícias » Mais uma área no Parque Laguna é reintegrada; moradores migram para Embu das Artes

Mais uma área no Parque Laguna é reintegrada; moradores migram para Embu das Artes

Por Allan dos Reis, no Parque Laguna

Com o apoio da Polícia Militar, a segunda parte da área do Parque Laguna (no final da Avenida Castelo Branco) que pertence a família Basile, em Taboão da Serra, foi reintegrada na manhã desta quarta-feira (5), de forma pacifica. Os barracos – a maioria de madeiras – já estavam desocupados e foram derrubados por máquinas retroescavadeiras.

Após moradores desocuparem área, máquinas derrubaram os barracos construídos no local.

Após moradores desocuparem área, máquinas derrubaram os barracos construídos no local.

“Precisamos do apoio do Fernando (prefeito de Taboão da Serra) e não conseguimos. Então tive que tirar a minha população para não ter mais prejuízos. A gente seguiu para a região do Embu [das Artes], no Jardim Mimás”, diz Pato, líder da ocupação.

No mesmo terreno, mas em outro ponto, houve uma reintegração de posse em agosto de 2016. Na época, os moradores migraram para área mais acima, alvo da ação nesta quarta.

Ele garante que eram mais de 800 famílias que estavam no local. Apesar de a reintegração ter sido pacífica, levou apreensão aos moradores de outra ocupação – no mesmo terreno – mas que fica área de São Paulo chamada Comunidade Divina Luz. Apenas no início da noite de ontem (terça) é que eles conseguiram uma liminar na Justiça impedindo a reintegração.

Do lado direito, a Comunidade Divina Luz, que fica em São Paulo. Do lado esquerdo, que pertence a Taboão da Serra, a área reintegrada após decisão Judicial.

Do lado direito, a Comunidade Divina Luz, que fica em São Paulo. Do lado esquerdo, que pertence a Taboão da Serra, a área reintegrada após decisão Judicial.

Responsável pelo 36º Batalhão da PM, o tenente-coronel PM Marcos Vitiello afirma que 371 policiais militares, incluindo de outros batalhões e a tropa de choque, trabalharam na operação. “Tiramos por volta de 200 casas por aqui. Foi bem pacífico e assim será até o final do dia”, disse antes do término da operação.

O momento mais impactante da reintegração foi a demolição de uma igreja evangélica já no finalzinho do terreno, praticamente em São Paulo. No local mora a caseira do terreno, que não tinha autorização do proprietário da área para ampliar e construir outros imóveis. Além de uma ou duas casas, estava à construção desta igreja, que moradores afirmam que tinha um forte trabalho social.

A reportagem tento conversou com o advogado do proprietário do imóvel, que preferiu não se pronunciar.

Deixe um comentario

Current ye@r *

© 2013 TABOÃO EM FOCO · RSS · Site por Keone Midia Online