Home » Sociedade, Todas as notícias » Moradores cobram término da canalização do córrego Poá e criticam omissão dos vereadores

Moradores cobram término da canalização do córrego Poá e criticam omissão dos vereadores

Por Allan dos Reis, no Jardim Helena

Os moradores do Jardim Santa Luzia protestaram na Câmara Municipal de Taboão da Serra durante sessão legislativa desta terça-feira (22) contra os constantes alagamentos ocorridos nas ruas próximas ao Córrego Poá. Com faixas e apitos, eles criticaram a paralisação da canalização e a omissão dos vereadores.

“Viemos pedir aos vereadores que olhem para a gente porque até esse momento eles não olharam. Eles estão cuidando do prefeito Fernando e não da população. Nós tivemos de 26 de dezembro [de 2015] até 19 de fevereiro cinco enchentes de dois a quatro metros de água no centro de Taboão. Em momento nenhum apareceu vereador”, criticou o comerciante José Alves Filho, que utilizou a tribuna popular.

Presidente da Comissão de Obras, Eduardo Lopes, conversa com moradores do bairro que sofreu com diversos alagamentos em menos de dois meses.

Presidente da Comissão de Obras, Eduardo Lopes, conversa com moradores do bairro que sofreu com diversos alagamentos em menos de dois meses.

Presidente da comissão de obras, Eduardo Lopes (PSDB), leu uma nota do secretário de obras em que culpa a antiga administração e afirma que as obras estão sendo retomadas. “Eu quero usar os atributos de vereadora para ajudar”, disse. A vereadora Joice Silva (PTB) falou que esteve “presente nos locais em todas as enchentes”, mas foi rebatida por diversos moradores que responderam “eu não te vi”.

Moradores levaram faixas com ironi

Moradores levaram faixas com ironi

A parlamentar avisou que no dia 2 de março o prefeito Fernando Fernandes (PSDB) vai receber duas comissões de moradores atingidos pelas freqüentes enchentes. Uma da região do Santa Luzia e a outra da ‘vila’ na travessa da Rua das Camélias. Uma moradora do bairro revelou que o prefeito prometeu terminar as obras em 45 dias.

Outra moradora que reclamou foi Eliana Manetta ao afirmar que algumas promessas feitas após a grave enchente de março de 2015 não foram cumpridas. “A retomada das obras de canalização foi uma delas porque retomaram e pararam de novo, com a desculpa da desapropriação”, disse.

SEM SENTIDO

Uma das soluções para acalmar os moradores foi marcar uma audiência pública da comissão de obras para o dia 10 de março. Porém, uma semana antes, o prefeito Fernando Fernandes (PSDB) vai receber duas comissões de moradores de áreas atingidas pela enchente e, com isso, espera-se que as respostas sejam dadas diretamente pelo chefe do executivo.

Na prática, a audiência não fará mais sentido e mesmo que seja realizada, não irá acrescentar nada a mais do que o prefeito irá explicar aos moradores.

Em 55 dias, Taboão da Serra teve pelo menos quatro alagamentos em diversos pontos da cidade.

Taboão da Serra teve vários alagamentos em menos de dois meses.

OFICIAL DE JUSTIÇA TENTA NOTIFICAR NÓBREGA

Um fato curioso também passou quase despercebido durante a sessão. É que um oficial de justiça foi até o plenário da Câmara na primeira parte da sessão para notificar o vereador Eduardo Nóbrega (PR) sobre um novo processo movido – segundo o vereador – pela Cooperativa Habitacional Vida Nova, presidida pelo ex-vereador Aprígio. Nóbrega se recusou a receber a notificação.

Deixe um comentario

Current ye@r *

© 2013 TABOÃO EM FOCO · RSS · Site por Keone Midia Online