Home » Todas as notícias » Nóbrega quer apoio do PSDB, mas garante: vou colocar meu nome para prefeito de Taboão em 2020

Nóbrega quer apoio do PSDB, mas garante: vou colocar meu nome para prefeito de Taboão em 2020

Por Allan dos Reis, na região do Morumbi

Faltam ainda mais de 50 meses – e um mandato por completo a ser cumprido – e o vereador Eduardo Nóbrega (PSDB), mais votado da história de Taboão da Serra com 6.033 votos – decidiu tornar público em um almoço com a imprensa a duas semanas que deseja ocupar a cadeira do atual prefeito reeleito Fernando Fernandes (PSDB), a partir de 2021.

Eduardo Nóbrega diz que cumpre o seu mandato como vereador e será candidato a prefeito de Taboão da Serra em 2020.

Eduardo Nóbrega diz que cumpre o seu mandato como vereador e será candidato a prefeito de Taboão da Serra em 2020.

“Chegou o momento. As urnas deixaram claro para mim que o momento é lançar, ou se colocar, a disposição do PSDB para uma candidatura ao executivo em 2020. Pode parecer muito cedo, mas é uma avaliação que se faz com o resultado das eleições que acabaram no domingo [dia 2]”, antecipou Nóbrega.

Ao longo da entrevista ele repetia que seria o candidato do PSDB, mas deixou claro que – com ou sem apoio da base – vai disputar a sucessão. “Eu vou colocar meu nome a Prefeitura de Taboão da Serra em 2020. Eu sou candidato em 2020 e pretendo ser o candidato do PSDB”, disse.

Fazendo questão de tecer elogios a todo instantes a família Fernandes, que além do prefeito, inclui a deputada estadual Analice Fernandes e o secretário de esportes Fábio Fernandes, o vereador reeleito e agora candidato a prefeito Nóbrega trabalha para conquistar o apoio de outros integrantes do chamado ‘núcleo duro’ do governo, que incluí uma série de secretários, a quem enfrenta certa resistência pelas críticas que fez em tribuna.

Nóbrega conversou com jornalistas alguns dias após sua histórica eleição. (Foto: Arquivo)

Nóbrega conversou com jornalistas alguns dias após sua histórica eleição. (Foto: Arquivo)

Além de conquistar o apoio, Nóbrega vai tentar minar que outros políticos da base lancem a sua candidatura, como também antecipou o vereador Cido (DEM). E para isso, ele pede ao prefeito regras claras que todos teriam que cumprir.

“Há possibilidades de a gente criar critérios objetivos para a gente evitar confrontos, que seria um suicídio da base. A situação de 2004 não pode ser esquecida porque foram sendo criados alguns nomes dentro da base [entre eles Paulo Félix e Arlete Silva, que acabou sendo a candidata que perdeu a Evilásio Farias]. E o Fernando teve uma parcela para contribuição para derrota porque esperou demais para que definisse o nome”, diz.

Ele espera que o nome seja definido logo após as eleições de 2018 para que haja tempo de discussão ampla com a base e possa conseguir conversar com diversos setores.

No próximo mandato, que começa só no dia 1 de janeiro de 2017, o vereador e candidato a prefeito promete sair de discussões pequenas com outros colegas e vai intensificar temas mais densos.

“Esses seis mil votos me tira de diversas discussões. Quando eu coloco uma possibilidade de candidatura, eu saio de discussões pequenas na Câmara. O vereador acaba disputando bairros”, diz.

Para mostrar que é de grupo, ele afirma ter aberto mão de disputar a presidência da Câmara Municipal e trabalha para eleger Carlinhos do Leme (PSDB), seu principal aliado no legislativo, que chegou à churrascaria com o parlamentar. A vereadora Érica Franquini (PSDB), reeleita, e o vereador Eduardo Lopes (PSDB), não reeleito, também acompanhavam o futuro candidato a prefeito. Ambos foram embora antes da entrevista.

Eduardo Nóbrega avalia que os candidatos que disputaram as eleições deste ano e perderam, atingiram o teto eleitoral. Aprígio, que teve quase 30 mil votos estaria em declínio, Buscarini com mais 23 mil votos teria atingido o seu teto e Evilásio Farias com apenas 7 mil votos decretou a sua morte política.

SECRETÁRIO DE MANUTENÇÃO DEVE PERDER O CARGO

O prefeito Fernando Fernandes ainda não anunciou quais serão as mudanças em seu secretariado, mas o líder Eduardo Nóbrega antecipou que o secretário de manutenção Orlindo de Jesus Domingos deve perder o cargo para dar espaço ao atual secretário de esportes Fábio Fernandes, que deve disputar o cargo de deputado federal em 2018.

“Eu acredito que se fosse convidado seria para manutenção, algo muito próximo dos bairros. Mas acredito que essa secretaria é chave e deve ser ocupada por alguém antes de mim. Que possa ocupa-la agora, mostrar um trabalho rápido para a eleição que se avizinhe antes da que eu pretendo”, diz.

LÍDER QUER ‘DESAPARELHAR’ A SAÚDE

Durante a conversa com jornalistas, o líder do governo Eduardo Nóbrega repetiu parte do discurso feito logo na primeira sessão após a eleição e afirmou que o sistema de marcação de consultas tem interferências da classe política, privilegiando um grupo de pessoas.

“[Há] um aparelhamento na saúde que temos que mudar. Conversei com o prefeito antes e hoje pela manhã [dia 6] e haverá choque na gestão da saúde”, admite Nóbrega.

Fachada do Centro de Especialidades

Evitar que furem as filas na marcação de consultas será um dos desafios do novo governo, afirma Eduardo Nóbrega. (Foto: Arquivo)

Questionado se estava admitindo que há interferência no sistema de marcação de consultas, o vereador completou. “Exatamente. Houve de alguma maneira – e precisamos identificar qual foi – uma priorização no agendamento de consultas e exames, que atrapalhou o governo. É inegável isso. Alguns conseguiram acesso a saúde em detrimento a maioria da população. E quem percebeu isso foi a própria população”, explicou.

Ele promete lutar para blindar a secretaria de saúde, assim como está à secretaria de educação.

CUTUCADA

Mesmo sem citar o nome, Nóbrega criticou a postura do presidente da Câmara, Cido (DEM), que na primeira sessão após a eleição foi à tribuna e também anunciou que seria candidato a sucessão do prefeito Fernando Fernandes em 2020.

Cido também diz em tribuna que será candidato a prefeito em 2020.

Cido também diz em tribuna que será candidato a prefeito em 2020.

“Ninguém se coloca a disputar um cargo. A circunstancia e a conjuntura é que levam a disputa de um cargo. Vocês não estariam aqui [na coletiva] se soubessem que eu estava postulando algo distante da realidade. Temos fatos objetivos que me colocam como candidato a prefeito. Não adianta ir para tribuna da Câmara dizer que é candidato a prefeito. Isso é muito distante da realidade, muito vazio. E vocês não entram nesta”, ironizou.

Nóbrega também confessou que tem dificuldade de relacionamento político com o vereador Marcos Paulo (PPS).

One Response

  1. VASCO disse:

    COLOCAR A CARROÇA NA FRENTE DOS BOIS NÃO É DE BOM GRADO.

Deixe um comentario

Current ye@r *

© 2013 TABOÃO EM FOCO · RSS · Site por Keone Midia Online