Home » Política, Todas as notícias » Noventa afirma que não expulsou a vereadora Érica do PDT e defende a perda de mandato por infidelidade

Noventa afirma que não expulsou a vereadora Érica do PDT e defende a perda de mandato por infidelidade

Por Allan dos Reis, no Jardim Clementino

O ex-vereador Valdevan Noventa que presidia o PDT em Taboão da Serra antes da vereadora Érica Franquini se tornar presidente disse ao site Taboão em Foco na última sexta-feira, dia 18, que não é o responsável pela expulsão da parlamentar do partido conforme consta no site filiaweb do Tribunal de Justiça Eleitoral. Ele defendeu inclusive a perda de mandato da vereadora por infidelidade partidária após ela anunciar a sua filiação ao PSDB.

Noventa virou alvo porque a expulsão teria sido efetuada com a mesma senha que pertencia a ele na época em que foi presidente. A vereadora inclusive faz questão de dizer que nunca teve a senha mesmo quando se tornou presidente no final do ano passado.

Ex-presidente municipal do PDT afirma que não expulsou a vereadora Érica Franquini.

Ex-presidente municipal do PDT afirma que não expulsou a vereadora Érica Franquini.

Porém, ele se diz surpreso com a informação de que ela teria sido expulsa e criticou a postura da vereadora. “Eu jamais a expulsei. Qual interesse eu vou ter em expulsar uma companheira que elegemos no PDT. Ela está procurando algum culpado. E o culpado não sou eu. Muito menos as pessoas ligadas a mim. Quem tinha a direção do partido era ela. Ela que tem que se explicar. Acho injusto ela jogar essa questão em cima da gente”, criticou.

Em fevereiro deste ano, data em que já estava expulsa, Érica Franquini homenageia Valdevan Noventa com a medalha "19 de Fevereiro".

Em fevereiro deste ano, data em que já estava expulsa, Érica Franquini homenageia Valdevan Noventa com a medalha “19 de Fevereiro”.

Em seguida questionou porque nunca foi procurado por ela. “Eu gostaria que a companheira me procurasse. Sequer me procurou ou fez uma ligação para mim para tirar as dúvidas. Se ela acha que foi eu ou alguém ligado a mim, porque ela, que mora no mesmo bairro, praticamente na mesma rua, em nenhum momento nos procurou para ter informação”, perguntou Noventa.

Mesmo prometendo não interferir, o ex-vereador defende a cassação da vereadora Érica Franquini por infidelidade partidária, já que trocou o PDT pelo PSDB. “Na estadual não está como expulsa. Se ela não foi expulsa e mudou de partido, o que diz a lei”, perguntou.

Em seguida respondeu. “A lei diz que automaticamente perderá o mandato quem muda de partido e não foi para um partido novo, criado agora. Ela foi para um partido já existente. Mudou em um momento que não era de mudança. E quando se muda de partido, a lei diz que o político perde o mandato, que pertence ao partido. Então o seu suplente [Donizete Santana] deve correr atrás do seu mandato”, encerrou.

OUTRO LADO

A reportagem do Taboão em Foco ligou para vereadora Érica Franquini, que não pode atender. Porém, a sua assessoria disse que ela está respaldada para qualquer questionamento jurídico a respeito da questão da fidelidade partidária e afirma que “em nenhum momento a vereadora afirmou que ele [Noventa] foi o autor da desfiliação”.

Deixe um comentario

Current ye@r *

© 2013 TABOÃO EM FOCO · RSS · Site por Keone Midia Online