Home » Todas as notícias » Onishi atribui eleição de Marcos Paulo a presidente da Câmara de Taboão ao prefeito de Embu, Ney Santos

Onishi atribui eleição de Marcos Paulo a presidente da Câmara de Taboão ao prefeito de Embu, Ney Santos

Por Allan dos Reis, no Jardim Helena

As mágoas da disputa eleitoral da presidência da Câmara de Taboão da Serra voltaram à tona na sessão desta terça-feira (18) com o vereador Ronaldo Onishi (SD) ligando à vitória de Marcos Paulo (PPS) a interferência do prefeito de Embu das Artes, Ney Santos (PRB), mentor político de um grupo de vereadores, que criou o Bloco Independente e Harmônico (BIH).

Ronaldo Onishi ainda não 'engoliu'a derrota na disputa da presidência da Câmara de Taboão da Serra.

Ronaldo Onishi ainda não ‘engoliu’a derrota na disputa da presidência da Câmara de Taboão da Serra.

“Quando o prefeito de Embu das Artes [Ney Santos] veio aqui [durante a campanha eleitoral deste ano] e disse que faria o presidente da Câmara e o [próximo] prefeito, eu achava impossível. O Ney Santos usando de suas habilidades conseguiu fazer o presidente [Marcos Paulo]”, discursou Onishi.

Ele também rechaçou uma fala do novo presidente, que disse ter se sentido traído quando o grupo não optou pelo seu nome. “Quando fala de traição, tenho a consciência tranquila e serena. Não é do meu perfil usar de expedientes rasteiros e sorrateiros”, diz.

Marcos Paulo responde Onishi e afirma que sua vitória foi decidida pelos vereadores de Taboão da Serra, sem interferência externa.

Marcos Paulo responde Onishi e afirma que sua vitória foi decidida pelos vereadores de Taboão da Serra, sem interferência externa.

Em resposta, o novo presidente evitou dar créditos a sua vitória a Ney Santos, mas reconheceu que há uma aliança do grupo com ele.

Quem decidiu a presidência fomos nós [os sete vereadores do BIH]. Minha fala [após eleito citando Ney Santos] foi no sentido da aliança política, até então os cinco vereadores, com o prefeito Ney Santos. Não menospreze a aliança desses vereadores. Não foi ingerência do Ney Santos. […] Mas da mesma forma, teve ingerência do prefeito Fernando Fernandes, que fez o Waines [Professor] Moreira votar primeiro. Quer dizer, de um lado pode e do outro não pode? Tem que ter os dois lados”, disse Paulinho.

Em agosto, Ney Santos prometeu interferir na eleição da Câmara de Taboão da Serra. E - segundo Onishi - elegeu Marcos Paulo. (Foto: Reprodução)

Em agosto, Ney Santos prometeu interferir na eleição da Câmara de Taboão da Serra. E – segundo Onishi – elegeu Marcos Paulo. (Foto: Arquivo)

Em seguida, a discussão girou em torno dos bastidores que envolveram a disputa pela presidência. Reclamação de ambos os lados. Para o grupo que perdeu a presidência, Marcos Paulo não foi leal ao se manter participando das reuniões, mas tendo fechado acordo com o outro grupo.

Único parlamentar oficialmente na oposição, Moreira (PSD) lembrou que foi abandonado pelo outro grupo quando o prefeito cortou o convênio com a instituição do Solar dos Unidos, ligado a ele, e os mesmos não tiveram postura para conter esse rompimento. “Eu sempre falava com o grupo. E todo mundo calado, exceto ao Marcos Paulo e o vereador Johnatan Noventa. A partir dali fui vendo que estava do lado do trabalho social. E o grupo acabou me afastando”, diz.

Ele revela que sua mudança de postura começou quando foi chamado pelo deputado estadual eleito Aprígio (Pode). “E contrariando o que foi dito aqui, tenho respeito pelo Ney Santos, mas não tenho afinidade. Ele nunca me chamou para dizer que tinha que eleger esse ou aquele outro. Quem me chamou foi o Aprígio, que falou que havia um grupo de vereadores da oposição e estão no Bloco Independente. Foi quando começamos a conversar. Nunca houve interferência de nenhum poder de fora”, contou.

Medindo as palavras, a atual presidente Joice Silva (PTB) relembrou a lealdade que havia no grupo e reforçou que ficou magoada por Paulinho ter saído do grupo sem avisar. “O senhor [Marcos Paulo] nos ensinou a sermos leais. Me magoou a forma que foi feita e saiu do grupo. Desejo que o senhor faça uma ótima presidência. ”, diz.

CONVERSA DE BASTIDOR: “CRIME ORGANIZADO”

A vereadora Priscila Sampaio (PRB) tem sido uma das mais críticas e revelou uma conversa de bastidor em que Marcos Paulo teria acusado o vereador Eduardo Nóbrega (PSDB) de estar se aliando ao crime organizado, em referência a aliança que o político tem com Ney Santos, que é acusado pela Justiça de pertencer a uma organização criminosa.

“O senhor chamou o vereador Eduardo Nóbrega de irmão. Mas a poucos dias, na sala do prefeito [Fernando Fernandes], havia dito. Se o vereador Eduardo entrar por uma sala. Eu saio pela outra porque ele está querendo trazer o crime organizado para Taboão da Serra. E essa fala não me esqueço. E tinham seis vereadores e o prefeito como testemunha. A transparência precisa estar acima de tudo”, acusa Priscila.

Priscila revela suposta fala de Marcos Paulo com acusações a Eduardo Nóbrega, seu novo aliado.

Priscila revela suposta fala de Marcos Paulo com acusações a Eduardo Nóbrega, seu novo aliado.

A fala causou um rebuliço no plenário da Câmara. “Vereadora Priscila Sampaio. Vai ser o dito contra o não dito em relação ao vereador Eduardo Nóbrega. Eu não me recordo de ter falado. Não tenho problema em reconhecer o que eu falo. Posso até ter falado, em momento de raiva”, respondeu.

Eu não tenho compromisso político com o Ney Santos. Agora, faz parte do jogo. Nem com o Aprígio eu tenho. Mas no dia que tiver, eu falo, porque ninguém paga as minhas contas”, completou.

Em seguida, com o clima tenso, foram todos para sala de reunião e não voltaram mais ao plenário. Apenas a presidente Joice voltou e encerrou a sessão.

Print Friendly, PDF & Email

One Response

  1. sandro ayres disse:

    muita choradeira, vida que segue perderam a presidencia e ficam remoendo, far parte do jogo perder e ganhar, aceita que doi menos, chora na cama que é lugar quente

Deixe um comentario

© 2013 TABOÃO EM FOCO · RSS · Site por Keone Midia Online