Home » Sociedade, Todas as notícias » Patrões e empregados não entram em acordo e Taboão fica sem recolhimento de lixo

Patrões e empregados não entram em acordo e Taboão fica sem recolhimento de lixo

Por Gilmar Júnior, direto da redação, atualizado com a resposta da Prefeitura*

O Siemaco (Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Limpeza Urbana) de Taboão da Serra e região entrou em greve na manhã desta segunda-feira (23) devido a questões salariais. Após uma audiência de conciliação realizada na última sexta-feira (20) no TRT (Tribunal Regional do Trabalho) as negociações entre o Selur (Sindicato das Empresas de Limpeza Urbana no Estado de São Paulo) e os trabalhadores não surtiram efeito e assim, a paralisação foi definida. Uma nova reunião TRT para definir a situação deve acontecer na próxima terça-feira (24).

Garis entram em greve em Taboão da Serra e outros municípios da região. (Foto: Reprodução)

Garis entram em greve em Taboão da Serra e outros municípios da região. (Foto: Reprodução)

Segundo informou o Siemaco, a categoria reivindica um reajuste salarial de 12,73% sendo que o sindicato patronal, isto é, o Selur, ofereceu uma proposta de 6,5%. A Femaco (Federação dos Trabalhadores em Serviços, Asseio e Conservação Ambiental, Urbana e Áreas Verdes no Estado de São Paulo), que lidera os sindicatos de mais de 130 cidades do estado, não concordou e a greve foi declarada.

“Eles (Selur) ofereceram reajuste 6,5%, mas a inflação é de 7,9%. Eles disseram que era o que poderiam dar por causa da crise econômica que está afetando a todos. Não aceitamos e fomos às portas das garagens para avisar da decisão patronal com 72 horas de antecedência. Fomos a uma audiência no TRT e os juízes sugeriram um aumento de 6,5% oferecido anteriormente, mais o INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor), o que daria um reajuste de 9,5%, mas aí os patrões disseram que não poderiam dar isso”, explicou o presidente do Siemaco de Taboão e região, Donizete França.

De acordo com França, a prefeitura contrata o serviços de coleta e varrição de ruas – no caso de Taboão da Serra, a empresa contratada é a Cavo –  que recebe por tonelada de lixo recolhido. Entretanto, alguns municípios chegam a atrasar o repasse às empresas prestadoras do serviço de limpeza urbana que, conforme diz o presidente do Sindicato, mesmo sem receber pagam normalmente os salários e encargos dos trabalhadores. “Chegamos a conclusão que as empresas estão usando a gente para pressionar as prefeituras. Na época do prefeito Evilásio Farias [gestão de 2005 a 2012] chegou a atrasar 8 meses”, declara o presidente que lembra que a última greve no município havia ocorrido em 2004.

O gerente de operações da Cavo em Taboão, Paulo Melloni, afirma que aguarda a resolução do caso e que a paralisação é exclusivamente da categoria dos trabalhadores. “Existe um acordo que em caso de greve deveria ser paralisado somente 30% por centro do efetivo. Só que esta greve é de 100%”. Seguindo as informações passadas pela Cavo, Taboão da Serra conta com o efetivo de 190 profissionais, incluindo varrição, coleta de resíduos e tarefas administrativas.

A paralisação que iniciou na manhã desta segunda-feira deve seguir até, pelo menos, na terça-feira (24), dia em que será realizada uma nova reunião entre o sindicato das empresas e dos empregados. Atualmente, um varredor recebe R$ 982 e mais R$ 536 em benefícios, já o coletor, tem o salário de R$ 1134 e mais R$ 520 de benefícios.

NOTA DA PREFEITURA DE TABOÃO DA SERRA

Os serviços de coleta de resíduos sólidos no Município de Taboão da Serra são feitos por meio de contrato com a empresa CAVO. Em caso de inexecução parcial ou total dos serviços, a contratada será responsabilizada e penalizada na forma da legislação vigente e contrato formalizado.

No preço dos serviços contratados estão inclusos todos os custos, inclusive encargos sociais e trabalhistas, portanto, não compete à Prefeitura interferir na relação entre empresa e empregados.

A contratada foi notificada acerca da inexecução contratual, entretanto, por força das disposições constitucionais tem direito a ampla defesa e ao contraditório.

Todos os pagamentos devidos à contratada, na atual gestão (2013/2016), se encontram rigorosamente em dia.

O contrato vigente foi celebrado em 2013.

Deixe um comentario

Current ye@r *

© 2013 TABOÃO EM FOCO · RSS · Site por Keone Midia Online