loader-image
temperature icon 19°C

Após atos de vandalismo, Câmara passa mais uma noite sob vigilância da GCM

Compartilhar notícia

Por Allan dos Reis, no Jardim Maria Rosa, em Taboão da Serra*

Um dia após o quebra-quebra praticado por membros do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) durante uma sessão legislativa que causou prejuízos aos cofres públicos, a Câmara de Taboão da Serra vai passar mais uma noite sob vigilância da Guarda Civil Metropolitana (GCM) porque os vidros da porta da frente continuam quebrados. O valor do prejuízo ainda não foi divulgado.

Com vidros quebrados, GCM mantém Câmara de Taboão sob vigilância por mais uma noite

Na tarde desta quarta (3), em reunião fechada, os camaristas se reuniram e descartaram punir qualquer vereador pelos atos ocorridos na noite anterior. Paulo Félix (PMDB) chegou a ser acusado por Macário (PT) e Valdevan Noventa (PDT) de incitar o os manifestantes que ocupavam a Câmara, após a proposta de alterar o plano diretor não ter entrado em votação.


Nesta quinta (4), representantes do MTST prometem um protesto na região central do município exigindo punição dos responsáveis pelo confronto e punição a membros da GCM, que segundo eles, teriam se excedido durante a manifestação.

Apesar de afirmarem que a manifestação era “pacífica”, imagens divulgadas do circuito interno da Câmara mostram representantes do movimento chutando a grade de proteção que separa o público dos vereadores antes do quebra-quebra generalizado.

* matéria alterada às 10h05 para correção do partido de um candidato

Veja também