loader-image
temperature icon 14°C

Aprígio troca de novo coordenação de comunicação; auxiliar assume

Compartilhar notícia

Adilson Oliveira, da Redação

Jornalista Rodrigo Cesar, novo coordenador de comunicação de Aprígio, na convenção do PSB

O jornalista Rodrigo Cesar é o novo coordenador de comunicação do candidato a prefeito Aprígio, no lugar do jornalista Márcio Amêndola, como terceiro profissional a responder pelo comando do estratégico setor em apenas dois meses de campanha. Cesar, 33, já integrava a equipe capitaneada pelo ex-colega, de quem era o braço direito, na redação de textos para os materiais da candidatura majoritária e como assessor de imprensa da coligação.

Cesar terá como tarefa produzir novos jornais específicos, com propostas de Aprígio para juventude, esporte, saúde, educação, funcionalismo público, entre outros setores, e finalizar revista do plano de governo – cerca de 20 páginas –, com a reunião dos compromissos assumidos. “Temos uma gama de materiais para soltar, e ele está preparando”, afirmou ao TF o coordenador-geral da campanha do candidato do PSB, Irineu Casemiro.

Procurado nesta quinta-feira, dia 13, Cesar falou, porém, desconhecer ter sido escolhido para o posto. “Não me passaram esse bastão”, disse. Ele é filiado ao PSB, mas já integrou o PTB, em 2004, quando tentou uma vaga para se candidatar a vereador na chapa adversária ao hoje prefeito Evilásio Farias. Mas teve a legenda negada por Arlete Silva, presidente do PTB e então candidata a prefeita apoiada por Fernando Fernandes (PSDB).

EX-COORDENADOR

Indicação festejada por ter larga experiência no jornalismo e na militância partidária, Amêndola saiu após 50 dias na coordenação, em que elaborou seis grandes publicações como edições do jornal e informativos com propostas do candidato, além da própria revista. Tinha substituído o jornalista Mario de Freitas, que alegara problema de saúde. Oficialmente, Amêndola se desligou por ter de reassumir cargo público em Embu das Artes com o fim de licença.

Amêndola teve, porém, divergências agudas com o candidato a vice, Wagner, do PT como ele, e o próprio Aprígio, apurou o TF. Defendia que confrontassem o governo Fernando com a gestão PSB-PT nos últimos oito anos. Para Casemiro, ele deu “contribuição importante”. “Planejou toda a parte impressa da campanha, foi fundamental”, disse. A coligação nega relação da saída com a pesquisa que aponta 70% de intenções de voto para Fernando e 19% para Aprígio.

Veja também