Etec de Taboão da Serra vence Olimpíada Nacional de Aplicativos

Do Centro Paula Souza

Um grupo de estudantes da Escola Técnica Estadual (Etec) de Taboão da Serra venceu a sétima edição da Olimpíada Nacional de Aplicativos (Onda). Disputando com trabalhos desenvolvidos por jovens de escolas públicas e privadas de todo o País, a equipe da Etec localizada na Região Metropolitana de São Paulo conquistou o primeiro lugar com o aplicativo Journey Care, uma proposta para auxiliar familiares de pacientes em cuidados paliativos.

“Essa conquista vem coroar o trabalho realizado pelos educadores da Etec, com a utilização de metodologias ativas, em especial a aprendizagem baseada em problemas e projetos”, avalia o diretor da unidade, Vinicius Miekusz Salgado de Vasconcelos. “O sucesso na participação neste evento inspira outros estudantes a inscreverem seus projetos em novas edições, e em muitos outros desafios tecnológicos e olimpíadas”.

O Projeto

“Apenas 10% das pessoas que necessitam de tratamentos paliativos chegam a recebê-los com qualidade. Na maioria dos casos, o cuidado com o doente terminal fica a cargo de parentes. Nosso objetivo é oferecer apoio mental a essas pessoas”, explica a aluna Cindy Kamile Santos de Oliveira no vídeo de apresentação do aplicativo, chamado de pitch.

O vídeo impactou os juízes e levou o Journey Care até a final nacional. O anúncio dos vencedores ocorreu nesta sexta-feira (26), em Gramado, no Rio Grande do Sul. Os integrantes do grupo – Cindy, Breno Almeida Ribeiro dos Reis, Gabriel Augusto Gonçalves Pereira, Kaique Noran Ferreira Lazzaretti – a orientadora Alícia Stefany da Silva e o diretor da unidade estiveram presentes na cerimônia de premiação.

“Estimulamos muito a participação de alunos em eventos externos, com visitas técnicas, feiras e olimpíadas. Nesta edição da olimpíada inscrevemos 22 grupos do Ensino Médio Integrado ao Técnico em Desenvolvimento de Sistemas”, explica o diretor.

Responsável pelos componentes da base técnica na Etec de Taboão da Serra, a professora Alícia Stefany da Silva trabalha com os grupos no modelo baseado em projetos e orientou o estudo de acordo com o tema proposto pela competição. Na sequência, o Jouney Care deverá ser inscrito em outras mostras, como a Feira Tecnológica do Centro Paula Souza (Feteps) e o Campus Future, programa de inovação social da Campus Party Brasil. Interação e troca de ideias com profissionais da área ajudam a amadurecer o projeto.

“O trabalho realizado em sala de aula chega até um certo ponto. Depois, o aluno precisa ser incentivado a competir e vivenciar experiências fora do contexto escolar. Assim, é possível reconhecer suas próprias habilidades e aptidões, além de desenvolver o lado empreendedor para viabilizar o amadurecimento pleno”, diz a professora.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.