Fórum de Taboão realiza audiência de acusados da fraude do IPTU

Márcio Carra, primeiro preso acusado de fraudar o IPTU, na porta do Fórum
Márcio Carra, primeiro preso acusado de fraudar o IPTU, na porta do Fórum

A Justiça de Taboão da Serra começou a ouvir nesta quarta-feira, dia 24, uma série de testemunhas de acusação contra os 25 réus acusados de fraudar a dívida ativa do município, através de baixas de IPTU e outros impostos. Os depoimentos das acusações começaram a cerca de uma hora e estão programados para ocorrer até a próxima sexta-feira, dia 26. Apenas Rafael da Silva e Joaquim Batista de Oliveira Neto, que se encontram foragidos, não compareceram ao Fórum, mas seus advogados estão presentes.

Logo no início da audiência, os advogados dos réus tentaram cancelar a audiência. A alegação maioria é que eles não tiveram acesso aos autos do processo e porque nem todos os documentos estavam no fórum. Mas a Juíza de Direito, Flavia Castellar Oliverio não aceitou o protesto e começou a ouvir o senhor Silvio Ramalho Foz Júnior.

O depoimento da primeira testemunha durou cerca de 40 minutos, com pequenas pausas, para perguntas dos advogados. Morador do Jardim Mirna e proprietário de um terreno com cerca de 13 mil metros quadrados, ele explica que o seu Imposto Predial Territorial e Urbano (IPTU) aumentou cerca de 1000% em 2010 passando para o valor de R$ 106 mil reais, mas conseguiu ter o valor revisado para cerca de R$ 26 mil. Ele também explicou que o réu Milton Andrade intermediou a venda de parte de um terreno seu.

Em seguida, a Juíza encerrou o depoimento e dispensou a todos para o horário de almoço. Logo após as 14 horas estão programados os depoimentos do chefe dos investigadores, Ivan Jerônimo, e do delegado Dr. Raul Neto, que foram os responsáveis pela ‘Operação Cleptocracia’, que investiga a fraude.

Por Allan dos Reis

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.