Marta debate criminalização da homofobia em Taboão

marta_divulga

A senadora Marta Suplicy (PT-SP) participou na noite desta quinta-feira (4), do debate sobre direitos e cidadania LGBT da Universidade de Todas as Cores, atividade da Semana da Cidadania LGBT e da 2ª Parada Gay de Taboão da Serra (Grande São Paulo). O evento aconteceu na Universidade Anhanguera, centro da cidade. O principal assunto em pauta foi o projeto de lei que visa criminalizar a homofobia (PLC 122).

“É muito importante fazer este debate em todos os lugares possíveis porque a homofobia está se tornando um problema realmente muito sério no Brasil. Não tínhamos esse ódio expresso de forma tão violenta. O preconceito sempre existiu, mas não tão violento e tão cruel quanto agora”, disse Marta, em entrevista, logo ao chegar em Taboão da Serra.

Segundo Marta, aprovar a lei que criminaliza a homofobia tem um valor pedagógico, além do de repressão. “A lei do racismo – por exemplo – não eliminou o racismo, mas tornou muito mais difícil sua expressão. Em relação à homofobia, hoje, temos visto que estão matando e desrespeitando mais do que nunca. A lei pode coibir isso.”

Perguntada sobre o que é preciso fazer para vencer o preconceito e conter o aumento da homofobia, em tempos de mais visibilidade de homossexuais, Marta respondeu que é preciso fazer palestras, contar com educação sexual nas escolas, trabalhar preconceito e colocar que a homofobia é retrocesso.

“Fundamentalismo é extremamente perigoso para corações e mentes. Desestrutura famílias, cria ódio. Não constrói. Não queremos um Brasil assim. Queremos um Brasil que respeite a diversidade e as posições de cada um”, declarou a senadora.

Marta também comentou a última pesquisa Ibope, sobre aceitação de união estável para relações homoafetivas. “Foi excelente (o resultado da pesquisa) porque 45%, hoje, disse ser a favor. Isso é fruto de intenso trabalho. Daqui a algum tempo, se formos pesquisar, teremos maioria a favor.”

Entre os participantes da atividade organizada na Universidade Anhanguera estavam a vice-prefeita de Taboão, Márcia Regina (PT), o vereador Wagner Eckstein (PT), o coordenador do setorial nacional LGBT do PT, Julian Rodrigues, e o coordenador do setorial estadual LGBT do PT, Lula Ramires. A mediação do encontro foi de Wanderley Bressan, presidente da ONG DIVERSITAS, organizadora da Semana da Cidadania LGBT e da 2ª Parada Gay de Taboão da Serra.

Da Assessoria da Senadora Marta

0 comentário em “Marta debate criminalização da homofobia em Taboão”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.