Mortes na Rodovia Régis Bittencourt aumentam 160% após o Trecho Sul do Rodoanel

A TRIBUNA Regional teve acesso – com exclusividade – aos números de acidentes ao longo da Rodovia Régis Bittencourt (BR-116) entre os municípios de Taboão da Serra e São Lourenço da Serra (Km 269 ao Km 314) no período de Fevereiro a Maio deste ano. O levantamento se refere exatamente há dois meses antes e dois meses após a inauguração do Trecho Sul do Rodoanel, liberado para circulação de automóveis no primeiro dia de Abril e que aumentou o fluxo de carros nos municípios da região. Apesar da quantidade de acidentes se manter estável, as mortes aumentaram em 160% na comparação entre os dois bimestres.

Resgate socorre vítimas de acidente
Resgate socorre vítimas de acidente na BR-116
Mortes aumentaram depois da inauguração do Trecho Sul do Rodoanel
Mortes aumentaram depois da inauguração do Trecho Sul do Rodoanel

Nos meses de fevereiro e março 5 pessoas morreram na BR-116. Já nos meses de abril e maio foram 13 mortes. Atropelamento, acidentes envolvendo carros, motos, ônibus, caminhões e até bicicleta estão entre as centenas de acidente que acontecem na região.

Nestes quatro meses as ambulâncias da concessionária que administra a rodovia realizaram 391 atendimentos. Para o presidente do Conisud e prefeito de Itapecerica da Serra, Jorge Costa (PMDB), apesar desses números demonstrarem preocupação, a rodovia tem ficado cada dia mais segura e os números de atendimentos nos prontos socorros diminuiu.

“Esse dado é preocupante, mas eu vejo que diminuiu o número de atendimento dentro dos nossos hospitais. O Hospital Geral [de Itapecerica] é o que atendia a BR 116 de Juquitiba até Taboão. Você já não houve mais dizer que a BR é a ‘rodovia da morte’ [adjetivo dado pelo grande número de mortes durante décadas]”, afirma Costa.

Medidas de Segurança

Para tentar reduzir o número de mortes e acidentes na rodovia, desde o início do ano o limite de velocidade no perímetro urbano da rodovia baixou para 80 Km/h em alguns pontos e foram instalados, pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), radares móveis para multar quem ultrapassar o limite de velocidade. Além disto, estão previstos a construção de quatro passarelas, sendo duas no município de Itapecerica da Serra e duas em São Lourenço.

As passarelas estão sendo construída pela Auto Pista Régis Bittencourt, que administra a rodovia, que também promete lançar no segundo semestre uma campanha publicitária para incentivar a travessia pelas passarelas.

Allan dos Reis

Especial para TRIBUNA Regional

Foto: Sandra Pereira

0 comentário em “Mortes na Rodovia Régis Bittencourt aumentam 160% após o Trecho Sul do Rodoanel”

  1. Avatar

    Bem-vindo à carrocracia!

    “Você considera seu carro uma forma de liberdade porque a única liberdade que você pode imaginar é a de matar e mutilar os outros.”

    “Em todo o mundo, 265 mil pessoas morrem em estradas e ruas todos os anos – estima-se que 10 milhões fiquem feridas.”

    “Um carro gera mais poluição antes mesmo de ser dirigido do que em sua vida inteira de uso.”

    “Os veículos motorizados usam 1/3 do petróleo do mundo – o uso de petróleo implica o deslocamento de comunidades nativas para extração fora os derramamentos, poluição do ar e da água, grandes emissões de dióxido de carbono e constantes guerras e abusos humanitários.”

    “Os carros não protegem os motoristas da poluição, uma vez que estes dirigem em um ‘túnel de poluição’.”

    “De onde você acha que vem o oxigênio afinal? Da merda do escapamento do seu carro?”

    “Recusar o carro é recusar um modo de vida que nos torna perigosos (para nós mesmos, para os outros e para o meio ambiente).”

    “Seja um ciclista e deixe-se guiar por dois princípios: a liberdade e o respeito ao outro.”

    Trechos do livro Apocalipse Motorizado (Ned Ludd). Pare, pense e reflita!

    PS-1: Ah! Só para constar: CARRODEPENDÊNCIA TEM CURA! #VÁDEBIKE
    PS-2: Parabéns pelo Tribuna Regional, li um exemplar no último final de semana, gostei muito do trabalho.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.