Motoqueiro morto a tiros por promotor morava em Taboão da Serra

Por Allan dos Reis, Taboão da Serra
Fontes: Jornal Folha de S.Paulo e Jornal da Tarde

Na noite de Sábado, dia 5, o motoboy Firmino Barbosa, 30 anos, morador de Taboão da Serra foi morto pelo promotor de Justiça Pedro Baracat Guimarães Pereira, 42 anos, com 11 tiros de pistola 9 milímetros na Avenida República do Líbano, região do Ibirapuera. Segundo o boletim de ocorrência, por tentativa de assalto. Versão confirmar por duas testemunhas. À Polícia afirma que Barbosa, que não tinha antecedentes criminais e nem portava armas, estava com a placa da moto encoberta e com cinco relógios (marcas não divulgadas).
O promotor, que faz parte do Grupo de Atuação Especial de Investigação das Atividades Policiais, se apresentou no Departamento de Investigações Sobre Crime Organizado (Deic) para registrar a ocorrência.
A Polícia Militar chegou a socorrer Barbosa que morreu a caminho do Hospital São Paulo. O enterro aconteceu neste domingo, dia 6, no Cemitério da Paz, em Embú. O caso será investigado pela Procuradoria Geral, e não pela polícia, conforme determina a Lei Orgânica do Ministério Público quando há casos envolvendo promotores.

Outro Lado: Barbosa deixa um filho, 7 anos, e mulher grávida de 8 meses.

“Estão falando que ele foi roubar o cara [o promotor]. Ele não foi. Um cara que trabalha em dois serviços não vai pensar em roubar”, disse um dos amigos presente ao enterro.
O cunhado Celso Raimundo contou à reportagem do Jornal da Tarde que na noite de sábado, Barbosa estava num bar em Taboão da Serra, onde mora, quando um amigo ligou pedindo ajuda pois a moto havia enguiçado no meio da rua. “Ele (Barbosa) pegou minha moto emprestada porque estava sem a dele e saiu correndo para socorrer”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Este anúncio custou aos cofres públicos municipal a quantia de R$ 1.100,00.