loader-image
temperature icon 22°C

Policia Civil fala sobre as fraudes em Taboão da Serra; leia como foram os depoimentos

Compartilhar notícia

policiacivil
Delegado Raul Godói Neto, o Chefe dos Investigadores, Ivan Jerônimo da Silva e o investigador Ronaldo.

Começou agora a pouco o depoimento na Comissão Especial de Inquérito (CEI) na Câmara Municipal de Taboão da Serra.

18h01 – Fim dos depoimentos e os policiais vão embora.

17h20 – Vereadores e cúpula da polícia realizam reunião secreta.

17h01 – “Eu não divulguei os relatórios e há algumas divergências entre aos que apresentei e os que foram publicados”, afirma o chefe dos investigadores Ivan.

16h58 – O vereador Wagner Eckstein afirma que a utilização da “mídia foi exagerada pela polícia”, em relação as prisões ocorridas em maio de 2011 e critica a divulgação dos relatórios da operação, publicadas no site da Folha Online.

16h54 – O vereador Olívio afirma que o depoimento de hoje vai balizar a decisão dos vereadores na noite de terça.

16h52 – Se os crimes tivessem ficado em um departamento ou só em um setor não poderíamos afirmar, mas depois de tantos passos e tantas provas colhidas, fica impossível afirmar que o prefeito não sabia, diz delegado.

16h25 – retorno do intervalo

16h10 – intervalo

Vereadores durante depoimento na câmara
Vereadores durante depoimento na câmara

15h52 – “Tecnicamente existe possibilidade de prisão [do prefeito]”, afirma o delegado responsável pelas investigações da fraude no IPTU.

15h41 – Polícia diz que existem cerca de 20 inquéritos instaurados.

15h34 – Ivan afirma que há uma investigação no setor de comunicação da prefeitura e afirma que não há coerência “na licitação” onde a empresa vencedora foi única presente no pregão e mesmo assim fez uma série de lances.

15h31 – Segundo a polícia até o momento não há nenhuma denúncia.

15h30 – O vereador Valdevan Noventa pergunta se o terreno do shopping é alvo das investigações referente a outorgas onerosas.


15h20 – Investigador Ronaldo afirma que o possível pagamento de advogados feitos pela Etama está sendo investigado.

15h16 – A colaboração da prefeitura está de forma cerceada após as investigações chegarem no alto escalão do executivo.

15h09 – Ronaldo afirma que há, mas os detalhes só podem ser dados de forma sigilosa.

15h08 – Olívio Nóbrega pergunta se há investigação contra a vice-prefeita, e secretária de cultura, Professora Márcia (PT).

15h05 – O delegado e o chefe dos investigadores afirmam que esse inquérito citado é antes da administração de ambos. Formalmente esse inquérito já existia e já havia virado processo. No período em que a seccional está com essa administração não foi apresentado nada.

15h03 – Eckstein pergunta a respeito do inquérito instaurado em 2005 onde o prefeito Dr. Evilásio de Farias (PSB)

14h59 – O prefeito de Taboão Dr. Evilásio de Farias (PSB) teria dito em conversa com o chefe dos investigadores que a prisão dos 13 vereadores faria bem a cidade. “Eu tive dois encontros com o prefeito neste período das investigações. No primeiro ele teve um comportamento exemplar e direcionou as investigações ao camarista Carlos Andrade (PV). E no segundo eu citei que as fraudes não se atinha só ao Carlos Andrade e atinge outros. Ele ficou chateado e falou a seguinte coisa: se nós atingíssemos os 13 vereadores, nós estaríamos fazendo um grande favor a cidade.

14h58 – Mais dois vereadores são investigados afirma a polícia. “São quatro [vereadores] presos e outros dois [investigados] que não posso declinar o nome”, diz o delegado.

14h53 – O chefe dos investigadores Ivan afirma que até hoje a polícia não conseguiu o valor real do desvio da dívida ativa. “Eu não entendo porque ainda não chegaram no valor real do rombo”

14h43 – Vereador Wagner Eckstein (PT) fez perguntas relacionadas à fraude especificamente do IPTU.

14h42 – O vereador Macário (PT) chega à câmara e é convidado a compor a mesa. Também está presente o vereador Tales Franco (PRP). O ex-presidente da câmara, Dr. Maurício André, também está presente, assim como o ex-vereador Caboré.

14h27 – O chefe dos investigadores complementa a fala do delegado e destaca para as chamadas outorgas onerosas.

“Houve casos de empreendimentos na Estrada São Francisco que o metro quadrado era de R$ 400 e a prefeitura cobrou R$ 150 ou R$ 200”

14h24 – O delegado Dr. Raul inicia o depoimento na CEI explicando o início das investigações.

O site da câmara está transmitindo ao vivo. Clique Aqui

Veja também