Secretário de Segurança depõe na CPI e conta os detalhes da prisão do primeiro acusado

Prisão em março feita por Grisaffi desencadeou na prisão de outros acusados de fraudarem a dívida ativa do município
Prisão em março feita por Grisaffi desencadeou na prisão de outros acusados de fraudarem a dívida ativa do município. (Foto: Divulgação / CMTS)

A Comissão Especial de Inquérito da Câmara Municipal de Taboão da Serra tomou o depoimento do Secretário de Segurança do Município, Salvador Grisaffi, na tarde de sexta-feira, dia 13. 

Grisaffi foi o autor da prisão em flagrante do funcionário público Márcio Renato Carra no dia 18 de Março que dava baixa irregular na dívida ativa do município. Foi a partir desta prisão que a polícia civil investigou e prendeu mais sete acusados, incluindo três vereadores, e está procurando mais três pessoas que estão foragidas. Todos tiveram a prisão preventiva decretada pela justiça na semana passada.

“Na terça [dia 15 de Março] que antecedeu a prisão, o prefeito [Dr. Evilásio Farias] me chamou no gabinete e relatou que a consultoria da Conam [empresa que fornece o software] constatou um possível desvio de recursos e pediu para que eu tomasse as devidas providências e investigasse os fatos. Na noite deste dia fomos verificar o computador aonde era dada a baixa e a partir daí a Conam daria o aviso assim que ocorresse a baixa”, contou o Secretário.

“Ficamos de terça a sexta-feira, data do flagrante, com a GCM dentro da prefeitura. No dia da prisão estava com o prefeito, técnicos da Conam e o secretário da fazenda, Maruzan [Corado] até que disparou o alarme avisando que deram a baixa”, explicou.

“Chamei os GCM’s e fomos até o equipamento onde encontramos o funcionário Márcio [Carra] sentado e pedi para ele acompanhar a gente. Questionado se ele tinha os comprovantes que justificassem a baixa, ele abaixou a cabeça e pediu para ligar para o seu advogado”, explicou.

Em seguida foram ao distrito policial, que fica a poucos metros da prefeitura, onde foi registrado o flagrante e o ex-funcionário foi preso e encaminhado ao Centro de Detenção Provisória em Itapecerica da Serra. A partir daí, segundo o secretário, encerrou o seu trabalho que desvendou uma quadrilha que fraudava os cofres municipais.

“Se eu soubesse que fosse uma coisa deste tamanho eu falaria que não tenho competência”, encerrou Grisaffi.

Por Allan dos Reis

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.