Um dos criadores da Taboafro, André Luis morre aos 47 anos em decorrência da Covid-19

Por Allan dos Reis, na redação

Morreu nesta segunda-feira (3), André Luis Batista Pereira, um dos criadores da Taboafro, feira de cultura afro realizada em Taboão da Serra. O ativista do movimento negro morava em João Pessoa, na Paraíba, há quatro meses. Ele foi internado em uma UPA no dia de seu aniversário, domingo (2), quando completou 47 anos. O enterro foi nesta terça em João Pessoa.

Clayton Luiz, outro criador da Taboafro, fala da importância do amigo. “O movimento negro de Taboão da Serra perde muito com a morte do André, um comunicador nato que levava informação de combate ao racismo e a intolerância religiosa. Com inteligência e carisma, Projeto Árá Dudu (corpo negro) no Youtube, página da Taboafro em 4 episódios, isso fica bem evidente. Além do belíssimo trabalho a frente dos Taboafro negócios e o papo de quebrada que apresentávamos juntos. O movimento negro perde uma grande voz em nossa cidade”, afirma.

Nas redes sociais os amigos lamentaram sua morte. “O movimento negro perde um grande líder em Taboão”, diz Wanderley Bressan, secretário de desenvolvimento econômico.

André Luis era um dos defensores da vacinação. Em janeiro de 2021, quando iniciou a vacinação no Brasil, ele postou. “Morrer todos vamos morrer um dia, mas eu não quero ser mais um na estatística dessa doença. A gente crescer tomando varias vacinas pelo que eu sei nunca questionei o posto de saúde em relação de onde a vacina vem. Se é do pais XYZ. Agora fica essa frescura que não vai tomar porque e daqui ou dali”, postou em janeiro.

Em junho, ele postou foto segurando o comprovante de vacinação após sair de uma UBS em Taboão da Serra. “Primeira dose OK!”, postou.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *