Vendedores ambulantes reclamam da fiscalização durante Natal Iluminado em Taboão

Direto da redação
Um grupo de trabalhadores informais, mais conhecidos como camelôs, foram até a Câmara Municipal reclamar que fiscais da Prefeitura de Taboão da Serra não estão os deixando venderem seus produtos na Praça Nicola Vivilechio, no Centro, onde acontece o Natal Iluminado.
Eles trabalham diariamente em outros locais e – no período da noite – vendem seus produtos na praça. Porém, alegam que nos últimos dias foram impedidos pelos fiscais. Não houve acordo.
Vendedores ambulantes querem o direito de vender na Praça Nicola Vivilechio durante o Natal Iluminado.

4 comentários em “Vendedores ambulantes reclamam da fiscalização durante Natal Iluminado em Taboão”

  1. Avatar

    Engraçado, na semana passada havia inúmeras reclamações de frequentadores com relação aos “camelôs” que atrapalhavam a circulação dos pedestres pela praça e nesta a reportagem fala sobre a Prefeitura não deixar eles trabalharem na Praça. Vale lembrar que a maior parte destes ambulantes vendem comidas e o controle sob os alimentos devem ser rigorosos, sem falar no não pagamento de imposto por estes ambulantes, boa parte deles nem de Taboão é, só querem casar, porque não se preocuparam antes em procurar uma forma legal para estarem lá vendendo seus produtos. Nosso país está virando uma palhaçada, pois preferem fazer errado e depois fazerem manifestações para tentar a força continuarem cometendo irregularidades legais, ao invés de procurarem os meios corretos e legais, vivemos hoje uma imensa inversão de valores infelizmente!!!

  2. Avatar

    Todo ano vou com meus filhos na praça do Taboão passear e se não houvessem esses camelôs não haveria nenhum lanche ou bebida, quem gosta de passear sem ao menos “fazer uma boquinha”? A única coisa que falta é organização e a prefeitura devia disponibilizar alguém para ser responsável por isso, tenho certeza que esses camelôs estão lá vendendo porque precisam de dinheiro pra sustentar a sua família, se não precisassem não estariam lá perdendo até a noite de Natal trabalhando. No Natal iluminado do Embu das artes eles fazem um sorteio dando a oportunidade desses camelôs tirarem licença para trabalhar e tenho certeza que se fizessem isso no Taboão haveria satisfação ao público e aos trabalhadores.

  3. Avatar

    Acho um absurdo impedirem esses camelôs de trabalharem, hoje em dia emprego tá difícil, essas pessoas arrumaram uma forma de conseguir um dinheiro para levar sustento a sua família, na época de eleição esses mesmos que estão impedindo eles de trabalharem ficam chorando pedindo voto. Ninguém sabe a necessidade dessas pessoas. Estão matando o verdadeiro espírito natalino fazendo isso, cadê o amor ao próximo e a generosidade?

  4. Avatar

    Existem vários camelôs,os que pagaram para trabalharem,tirando suas licenças e os que vão lá concorrer…Não é certo,afinal os prejudicados são os que estão dentro da lei!!

    Deve proibir sim…Pq acaba sendo um desrespeito com quem pagou as taxas para expor seu produto.

    Povo folgado!!
    É tipo aquele povo que vai na festa,enche o nicho até estourar o botão,nao ajuda em nada,nao leva presente e no final ainda quer levar um pratinho pra casa e sai falando mal.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Este anúncio custou aos cofres públicos municipal a quantia de R$ 1.100,00.