loader-image
temperature icon 22°C

Vereadores criticam ex-candidata Najara Costa por ação no MP contra Doria e Aprígio

Vereadores de Taboão da Serra criticam Najara Costa

Compartilhar notícia

Por Allan Reis, na redação

Candidata à prefeita nas eleições de 2020, a socióloga Najara Costa (Psol) foi alvo de severas críticas dos vereadores de Taboão da Serra durante a sessão de terça-feira (20) por ter entrado com uma ação civil pública no Ministério Público de São Paulo pedindo a responsabilização do prefeito Aprígio (Pode) e do governador João Doria (PSDB) pelas mortes em decorrência da falta de leitos de UTI na UPA Dr. Akira Tada, no início de março.

Os vereadores enxergam na ação um ato político, já que a responsabilidade por leitos de UTI é de responsabilidade do Governo do Estado. Najara entrou com o pedido no MP em conjunto com a deputada federal Sâmia Bonfim e a co-deputada estadual Mônica Seixas, ambas do Psol.

“Nosso governo vem sofrendo diversos ataques eleitoreiros. Trazer a responsabilidade estadual [dos leitos de UTI] ao nosso município, ao nosso prefeito [Aprígio], é muita falta de responsabilidade”, reclamou Joice Silva (PTB).

Em seguida, outros vereadores discursaram na mesma linha. “Estou muito triste com os acontecimentos em nossa cidade. Sofremos muitos ataques políticos”, diz Érica Franquini. “A culpa é do ‘desgovernador’João Doria”, diz Enfermeiro Rodney.

“Essa denúncia feita ao Ministério Público por essa pseudocandidata pedindo ajuda […] é política e política baixa”, diz Marcos Paulo (PSDB).

Ao Taboão em Foco, Najara Costa diz: “Não estamos fazendo acusações, estamos cobrando uma apuração mais incisiva do caso que envolve a saúde em Taboão”.

Clique e veja a sessão completa no Youtube da Câmara Municipal de Taboão da Serra.

Desvio de Vacinas

Todos os vereadores defenderam ampla investigação na sindicância aberta pela Prefeitura para apurar possíveis desvios de vacinas contra Covid-19 na UBS Santo Onofre. O número de doses desviadas é em torno de 300, mas ainda não foi confirmada oficialmente.

“Quero enaltecer o governo municipal por ter aberto uma sindicância, mas não podemos sair atirando [culpando] sem as provas concretas”, diz Ronaldo Onishi (DC). “Quem cometeu ilegalidade vai ter que pagar por ela. Temos a responsabilidade de dar uma resposta”, reforça Joice.

Alex Bodinho (PL) criticou as notícias que envolvem seu nome no caso dos desvios da vacina e pediu que “Justiça seja feita” e que é a favor da investigação e “com provas concretas e verídicas, as pessoas paguem por elas” e agradeceu o apoio que recebeu dos amigos vereadores e do prefeito Aprígio.

“Se tiver que investigar a enfermeira chefe quanto a diretora, isso será esclarecido e a gente dará a resposta necessária”, diz Sandro Ayres (PTB).

Veja também