Home » Sociedade, Todas as notícias » Desentendimento entre funcionários da cultura termina em agressão física em Taboão

Desentendimento entre funcionários da cultura termina em agressão física em Taboão

Por Allan dos Reis, da Redação

Com mais de 260 mil habitantes, Taboão da Serra tem apenas um distrito policial. O 2º DP existe no papel desde 2006.

Uma confusão envolvendo dois funcionários alocados na Secretaria de Cultura de Taboão da Serra terminou em agressão física na última sexta-feira, dia 1, e o caso foi parar no distrito policial. O estopim foi o desentendimento entre o coordenador da igualdade racial, Antonio Carlos Sousa Santos, e a servidora Tamires Gomes.

Na versão de Sousa, ele teria autorizado uma pessoa sem vínculo com a secretaria a utilizar o telefone do local na quinta (dia 31) e foi repreendido por Tamires. Ambos se desentenderam e no dia seguinte, o marido dela [conhecido como professor Carlinhos] foi até o local e após discutirem, ele foi agredido com socos no rosto.

“Na quinta eu deixei o professor João Batista utilizar o telefone. O [secretário] Ali a advertiu [que reclamou da permissão]. Na sexta, o marido dela chegou à porta da secretaria, me puxou, me derrubou e começou a dar socos. Fui para o PS Akira Tada e fui medicado”, diz o agredido, que afirma que teve fratura no nariz. O marido agressor seria professor de artes marciais.

A reportagem do Taboão em Foco conversou por telefone com a servidora que preferiu não se pronunciar a respeito do ocorrido. Porém, no sábado (dia 2), ela e o marido registraram um boletim de ocorrência no DP contra o agredido e um veículo de comunicação, que noticiou o ocorrido.

“Eu não quero falar a respeito. Agora está com a Justiça. Vou processar o jornal porque ele divulgou a minha imagem, a do meu marido e a do meu filho”, se limitou a informar Tamires.

Com dúvidas a respeito ao que culminou na agressão, o secretário de cultura Ali Sati repudiou a agressão e aguarda a apuração dos fatos para tomar qualquer decisão a respeito.

“Houve uma discussão entre a Tamires e o Sousa e ela disse que falaria com o marido. A questão foi uma briga particular. A gente está apurando os fatos e vamos chegar a uma conclusão. É um fato triste. E quando tem violência é grave e não interessa o motivo”, diz Sati.

11 Responses

  1. Edu Tadeu disse:

    Essa promoção da esposa do agressor vem do gabinete ???

  2. Edu marcos silva disse:

    A servidora Tamires Gomes. recebeu uma promoção do qual não entendo depois de tudo isso ainda é promovida ?
    a agressão terminou em promoção ????????

  3. Antonio Carlos Sousa Santos disse:

    Com a palavra final ”O Poder Judiciário”.

  4. Mario disse:

    Com certeza a primeira pergunta do magistrado que julgará e tem notavel saber jurídico
    será.
    Sr. Santos o Senhor antes de discutir com a servidora, colega de trabalho, sabia que ela era mulher de professor de artes marciais????

  5. Angela disse:

    é um absurdo, se não bastasse ser uma piada tudo isso, pessoas sem semancol, que tratam o departamento onde trabalham como um verdadeiro lar da mãe joana, ainda temos que ver esse tipo de notícia em taboão. Deveriam ser punidos todos! As pessoas não sabem se comportar, não sabem nem ao menos ser profissionais, se é que isso existe nos departamentos da prefeitura, alguém sabe o que é comportamento profissional???. Esses tipos de gente é que dão a fama de que funcionário público só cerca o dia inteiro.

  6. CELIA disse:

    entendo como um desacato,e deveriam ser punidos com suspensão e dias descontados.
    se não isso vira o que ,a casa da mãe Joana,isso deveria ter sido resolvido dentro da secretaria pela chefia.

  7. Beto disse:

    Simbólico, não?Se no ministério da cultura é assim, imagina o resto.Pátetico

  8. Antonio Carlos Sousa Santos disse:

    Alias o Professor João Batista precisava localizar a palestrante voluntária na Atividade da Secretaria de Cultura.

  9. Antonio Carlos Sousa Santos disse:

    Eu não discuti com ele,ele chegou e foi agredindo.
    As Testemunhas pensaram que era briga de moradores de rua,quando se deram conta que era eu já era tarde.

  10. Antonio Carlos Sousa Santos disse:

    O Pior que filho menor assistiu agreção que sofri
    Me pergunto :
    Será o Magistrado de Menores sabe disse?

  11. Antonio Carlos Sousa Santos disse:

    Graças a DEUS os dois (2) boletim de Ocorrência acredito serão juntado e quem julgará será um magistrado(a) que tem notável saber jurídico.

Deixe um comentario

Current ye@r *

© 2013 TABOÃO EM FOCO · RSS · Site por Keone Midia Online