Home » Sociedade, Todas as notícias » Polícia Civil investiga falso médico que atendeu em PS de Taboão e na região de Sorocaba; outros são investigados

Polícia Civil investiga falso médico que atendeu em PS de Taboão e na região de Sorocaba; outros são investigados

Por Gilmar Júnior, direto da redação*

Em recente investigação, a Polícia Civil de São Paulo descobriu que cinco pessoas que se passavam por médicos atuavam pelo Estado de São Paulo. Um deles, Pablo do Nascimento Mussolim, que usava a identidade do médico Paulo Galvão, foi preso em São Roque. O falso médico já havia trabalhado em Sorocaba, Franca e no Pronto Socorro da Antena, administrado pela SPDM.

Fachada do Pronto Socorro da Antena, onde atuou o falso médico, investigado pela polícia.

Fachada do Pronto Socorro da Antena, onde atuou o falso médico, investigado pela polícia.

De acordo com o prefeito Fernando Fernandes (PSDB), a Secretaria de Saúde está monitorando o caso e lembrou que ele já não atuava mais no município. “A doutora Raquel (secretária de saúde) já me informou sobre isso e já se tomou as providências, mas esse médico não estava mais na Prefeitura”, garante.

Receita emitida por profissional investigado pela polícia civil. (Foto: Jornal Hoje em Notícias)

Receita emitida por profissional investigado pela polícia civil. (Foto: Jornal Hoje em Notícias)

Na verdade, o profissional investigado era contratado pela SPDM. E o prefeito fez questão de isentar a Organização Social de qualquer culpa. E, se houver culpados, o prefeito diz não ter dúvidas que cabe ao Conselho Regional de Medicina (CRM), que omite fotos dos médicos em seu site.

“O caso do falso médico vocês precisam entender que não é culpa de ninguém. Aliás, a culpa hoje é de um órgão da minha classe, o CRM (Conselho Regional de Medicina). Porque o CRM cometeu um erro grosseiro a meu ver. No site do CRM ele deixou por conta da vontade de cada um (médico) ter a sua foto ou não publicada. Eu acho um erro gravíssimo”, acusou Fernandes.

O prefeito também fez questão de ressaltar que alguns desses profissionais estudaram fora do país e ainda não tiveram os seus diplomas revalidados, condição para atuar no país. “Pelo que eu sei esses caras não eram totalmente falsos médicos. Eles não tinham os diplomas revalidados no Brasil. Eles se formaram lá fora e não revalidaram. Uma coisa é não ter o diploma revalidado e outra é ser falso médico. Agora só cabe a nós [Prefeitura], quer dizer, a SPDM, denunciar, até porque foi enganada.”

Pablo do Nascimento Mussolim, que usava a identidade do médico Paulo Galvão. (Foto: Reprodução)

Pablo do Nascimento Mussolim, que usava a identidade do médico Paulo Galvão. (Foto: Reprodução)

O caso foi deflagrado no último dia 17, data em que a Polícia cumpriu mandados de prisão em hospitais das cidades paulistas de São Roque, Mairinque e Alumínio. No total, a polícia aferiu que cinco pessoas trabalhavam com CRMs falsos, sendo que três foram identificados. Além de Pablo Mussolim que usava o nome e o CRM de um médico do Rio Grande do Norte, Natani Thaisse de Oliveira foi pega utilizando o documento de Natália Oliveira e uma mulher conhecida como Vilca, que se passava por Cibele Lemos.

Aviso do CREMESP aos pacientes

O CREMESP (Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo) orienta que os pacientes que se consultaram com o falsário devem procurar o médico novamente para realizar outro procedimento médico. Segundo a delegada Fernanda Ueda, contabilizando os três falsos-médicos, mais de 60 atestados de óbitos foram assinados.

 *colaborou Allan dos Reis

3 Responses

  1. Mauricio Lourenço disse:

    Na condição de conselheiro municipal de saúde (representante dos trabalhadores), participei da última reunião ordinária do Conselho Municipal de Saúde 28/07/15 a secretaria de saúde disse que todos os procedimentos para a contração do sr. Pablo, ou seja, foi consultado todos os dados no Conselho Regional de Medicina (CRM) e, constava todos os dados lá. Foi dito que o Conselho precisa colocar foto dos profissionais, isso é uma falha no cadastro daquele órgão.

  2. Antonio Pereira disse:

    Obviamente que quem contratou o falso médico é o culpado nesta história, detalhe o falso médico somente saiu do municipio porque a polícia foi prendê-lo no PSM, durante um plantão, sinceramente não vi melhora alguma com a SPDM na cidade, Gastam R$ milhões por mês e a saúde está péssima.

  3. Gomes disse:

    Não é culpa de ninguém? O prefeito está brincando? Contrataram um marginal que fez vários plantões seguidos por meses no PS Antena, recebeu uma fortuna de salário e não é culpa de ninguém? Quem contrato? E os pacientes que morreram na emergência nas mãos do falso médico? Isso é culpa dos políticos que temos na cidade. Vergonha.

Deixe um comentario

Current ye@r *

© 2013 TABOÃO EM FOCO · RSS · Site por Keone Midia Online