loader-image
temperature icon 14°C

Ministro apoia aliado Aprígio e diz que Taboão da Serra ‘não pode voltar para trás’

Compartilhar notícia

Adilson Oliveira, na região do Pirajuçara, em Taboão da Serra

O ministro da Saúde, o petista Alexandre Padilha, manifestou apoio ao candidato a prefeito Aprígio (PSB) e disse que a eleição do “principal adversário” do aliado é “permitir que Taboão volte para trás”, em referência a Fernando Fernandes (PSDB), durante passagem pelo comitê da coligação do prefeiturável governista, na noite do último domingo, dia 16. Cerca de 50 pessoas entre candidatos a vereador e militantes participaram do ato.

Padilha exaltou investimentos das gestões Lula e Dilma Rousseff em Taboão no governo Evilásio Farias (PSB) e sugeriu que só com Aprígio como prefeito a cidade vai continuar a dispor de recursos federais. “Acredito que o Aprígio, como fez Evilásio, vai trazer mais obras do PAC, mais obras na habitação, na educação, melhorar cada vez mais a saúde. Ele, como cada um de nós aqui, tem compromisso com o povo que mais precisa”, afirmou.

O ministro indicou que a parceria pararia ao afirmar que o rival de Aprígio é “daquela turma que nunca acreditou” que o ex-presidente Lula, por ser “alguém que veio de baixo, por ser um imigrante nordestino, como tantos que vieram para Taboão, poderia ser respeitado no mundo”, e que a presidente Dilma poderia governar o país. Disse imaginar o “desespero” da oposição quando Dilma anunciou a redução da conta da energia elétrica.

Deputado Geraldo Cruz, Aprígio, Padilha, vice Wagner, vice-prefeita Márcia, Irineu e secretário Milton Parron (Saúde)

“A presidenta vai baixar o preço da conta de luz da casa do povo. Vai baixar do comerciante, do empresário de Taboão, e ele vai poder contratar mais gente, pagar melhor os funcionários”, disse, ao ainda tentar “colar” a imagem de Lula e Dilma em Aprígio. Em antecipação a críticas, ele falou que o governo do PT e aliados “sabe que não fez tudo, mas só tem moral para dizer que vai enfrentar os problemas quem já mostrou que enfrenta”.

Ele frisou que os partidos que apoiam Dilma “estão fazendo a mudança em Taboão” com várias obras e equipamentos em diversas áreas sociais na cidade e conclamou cada militante a falar com a população sobre a história de moradores beneficiados. “Em nome dessa parceria, não podemos permitir que Taboão volte para trás, que a turma do adversário do [ex] presidente Lula e da presidenta Dilma volte a governar Taboão”, disse.

Diferente de petistas, que se referiram a Padilha como companheiro de partido, Aprígio o tratou como ministro de Estado, por “dr. Alexandre”, com pedido. “Queremos mais saúde para nossa cidade, sei que vai levar à presidente nossas reivindicações”, disse. Ao final do discurso, agradeceu ao apoiador. “Estou muito feliz com sua presença, leve meu abraço à presidente Dilma e fale para ela que vamos ganhar a eleição em Taboão.”

 

Veja também