Suicídio: perceba os sinais e ajude a salvar vidas

Por Lúcio Mario Silva e Ionice Alves Lourenço*

Um assunto que evitamos falar e que vem crescendo em silêncio assustadoramente. No Brasil acontecem em média mais de um suicídio por hora, contabilizando 26 por dia, totalizando mais de 9.000 pessoas por ano. (BERLOTTE, 2012).

Em uma comparação similar, estamos falando de um navio naufragando por mês com 780 vítimas fatais e tudo isso sem nenhuma divulgação ou prevenção.

Suicidio_SaveOrg

FATORES

O suicídio é multifatorial, ou seja, apresenta vários fatores que podem ser de causas econômicas, religiosas, sociais, ambientais, culturais, psicológicas, psiquiátricas, etc.

Existe uma relação intrínseca entre transtornos psiquiátricos e suicídio. Estima-se que 90% dos indivíduos que tentaram ou que cometeram suicídio satisfaziam os critérios para transtornos psiquiátricos, tendo até 60% deles desordem afetiva diagnosticável (BERLOTTE, 2012).

COMO INTERVIR

O suicídio é um problema de saúde pública. Acreditamos que grande parte das pessoas que cometem suicídio poderia escolher outra forma de solucionar os seus problemas, porém elas não acham outra saída no momento do desespero.

Na maioria dos casos o suicídio não é uma decisão repentina, mas sim algo planejado, a pessoa constrói um plano e pensa nessa possibilidade ao longo de algum tempo.

Se você conhece alguma pessoa nesta situação seja um bom ouvinte reconhecendo o sofrimento e sua disponibilidade em ouvir e ajudar.

Compreenda o que o outro diz pelo ponto de vista do seu sofrimento e reforce o quão importante essa pessoa é para si mesma e para os outros.

Questione abertamente sobre suas intenções e incentive-a buscar ajuda especializada.

NÃO JULGUE.

ALGUNS SINAIS DE ALERTA:

Comportamentais:

  • Ameaça de suicídio ou expressão de forte desejo de morrer.
  • Sinais depressivos, oscilação do humor, ansiedade, dor psíquica, estresse.
  • Isolamento social, família, amigos, eventos sociais.
  • Impulsividade e interesse por situações de risco.
  • Desfazer-se de objetos importantes.
  • Despedir-se de parentes e amigos,
  • Choro constante.
  • Fazer testamentos, seguros de vida.

Verbais:

“Eu quero morrer”, “Eu vou me matar”,”Gostaria de estar morto”, “Se isso acontecer novamente acabarei com tudo”,” A morte resolveria tudo”, “Você sentirá saudades quando eu partir”, “Logo você não precisará mais se preocupar comigo”, “Ninguém mais precisa de mim”.

COMO LIDAR COM A PERDA

Não se sinta culpado. É natural que você sinta que poderia ter observado, ter percebido, ter agido diferente. Essa é uma decisão única, da própria pessoa que cometeu o ato, a culpa não é sua. A responsabilidade de evitar o fato não cabia a você.

Se de alguma forma você se identificou com esta matéria ou conhece alguém nesta situação peça ajuda. Existem vários profissionais prontos para lhe dar a ajuda necessária que lhe respeitarão. Depressão não é frescura, a banalização ou o silêncio podem ser letais.

Obs: CVV 141 – Centro de Valorização a Vida também pode lhe oferecer apoio emocional.

Você pode encontrar mais informações sobre a prevenção do suicídio e grupos de apoio para enlutados pelo suicídio nos sites: www.vitaalere.com.br e www.cvv.org.br


Lúcio Mário Silva – CRP06/120.628  – Psicólogo Clínico

Ionice Alves Lourenço – CRP06/112.412 – Psicóloga Clínica.

11– 4385 9985

11- 4385 8000

ESPAÇO TERAPÊUTICO VIVA BEM – TABOÃO DA SERRA. Rua: Elizabetta Lips 112- Taboão da Serra- São Paulo

Colaboradores do Instituto Vitalere – Prevenção e Pósvenção do Suicídio

Este anúncio custou aos cofres públicos municipal a quantia de R$ 1.100,00.