loader-image
temperature icon 26°C

Prefeito Fernando diz que não vai negociar com servidores de Taboão enquanto houver greve

Compartilhar notícia

Da redação do Taboão em Foco

Na manhã desta segunda-feira (8), os servidores da educação que estão em greve em Taboão da Serra fizeram nova assembleia e decidiram manter a paralisação. O grupo chegou a protestar em frente ao portão principal da Prefeitura Municipal.

Após dizer que não reconhecia a greve na semana passada, o prefeito Fernando Fernandes (PSDB) agora aceita conversar com uma comissão. Porém, impôs – através do vereador Eduardo Nóbrega (PSDB) – uma condição. Que a greve seja encerrada imediatamente.

Em frente a Prefeitura de Taboão da Serra, servidores protestam por reajuste salarial.
Em frente a Prefeitura de Taboão da Serra, servidores protestam por reajuste salarial.

O vereador Professor Moreira (PSD) acompanhou a primeira parte da manifestação e também pediu que o prefeito atenda uma comissão para que possam apresentar as reivindicações.


“O município está equilibrado financeiramente e há 20 anos não dá aumento salarial a nenhuma categoria da cidade. E os funcionários vêm perdendo com a perda salarial e a perda do poder aquisitivo. Estão pedindo apenas o diálogo com o prefeito. E devo apoiar que esse diálogo seja atendido para que possam apresentar a pauta de reivindicações”, diz Moreira.

Na manhã desta terça (9), os grevistas devem acompanhar a sessão na Câmara Municipal e pedir apoio de outros vereadores para que haja uma negociação das reivindicações, focadas especialmente no reajuste salarial e na concessão do vale transporte.

Caso não consigam avançar, o Sindicato dos Professores das Escolas Públicas Municipais de Taboão da Serra (Siproem) promete judicializar a greve. “Existe a saída jurídica. Protocolamos todos os ofícios na Prefeitura [para formalizar a greve] e vamos recorrer a Justiça para que nos concedam o dissídio. Podemos ganhar ou não”, afirma o presidente do sindicato, Adenir Segura.

Veja também