Vice-prefeito Buscarini diz que não planeja golpe e faz críticas a Aprígio

Buscarini concede entrevista coletiva

Por Allan dos Reis, no Jardim Santa Luzia

Dois dias após ‘ser expulso’ da base de apoio do governo Aprígio, o vice-prefeito Buscarini concedeu entrevista coletiva na noite de quarta-feira (22) para dar sua versão das brigas, que começaram ainda durante a campanha eleitoral em 2020, e negar qualquer tentativa de “golpe” para tomar o cargo de prefeito.

“Eu recebi com muita indignação [a expulsão] e como ato covarde do senhor Aprígio. […] Ele me acusou de estar fazendo gestão de um golpe. Eu não converso com o Fernando desde 2008. Eu encontrei ele em eventos esporádicos em época de eleição”, se defendeu Buscarini, que reforçou não ter nenhum inimigo dentro da política.

Um dos pontos que fez a crise entre ambos ficar mais tensa se deve ao fato de Buscarini, que havia adotado o slogan de que Taboão teria um ‘prefeito vice’ e não um ‘vice-prefeito’.

Por mais de uma hora, Buscarini teceu críticas ao seu ex-aliado Aprígio e expôs a todas instantes fragilidades de saúde do mandatário. Ele afirma que gostaria de saber dos acordos políticos do prefeito com outros aliados, como os vereadores.

Entre os ataques ao ex-aliado, Buscarini afirma que o prefeito precisa de “um psiquiatra” porque está com “síndrome de perseguição”. O vice, que perdeu a sala que ficava na sede da Prefeitura, mas promete divulgar em breve o endereço onde vai despachar.

Clique Aqui para ver a entrevista completa.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *