loader-image
temperature icon 25°C

Aumenta a pressão popular contra a corrupção em Taboão da Serra

Compartilhar notícia

manifestacao
Manifestantes caminham em direção a prefeitura de Taboão da Serra

Nesta terça-feira, dia 21, aconteceu o primeiro ato contra a corrupção em frente à sede da prefeitura da cidade de Taboão da Serra. A Manifestação, que também já havia ocorrido em frente à câmara, foi organizada pela APEOESP (Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo e pelo MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem Teto), além de alguns partidos políticos como o PSOL e o PSTU. O protesto reuniu mais de 500 pessoas e pede a punição de todos os envolvidos na fraude da dívida ativa. 23 pessoas estão presas acusadas de participarem da quadrilha. Os manifestantes também pedem o afastamento do prefeito Dr. Evilásio Farias (PSB), a cassação dos vereadores presos e a devolução do dinheiro roubado.

Com discursos acalorados, manifestantes prometem voltar às ruas
Com discursos acalorados, manifestantes prometem voltar às ruas

A passeata chegou à prefeitura às 16 horas e terminou por volta das 18 horas. Com jargões como “se gritar pega ladrão, não sobra um”, “o povo na rua, prefeito a culpa é sua” e “o povo não é otário, fora Evilásio”, a passeata teve seus discursos acalorados.

José Afonso da Silva, secretário da APEOESP, relatou que foi ameaçado caso fizesse algo para desmantelar a corrupção na cidade, mas respondeu à ameaça com a manifestação desta terça.


O estudante João Ávila da Silva de apenas 13 anos, mora no Jardim Salete e participa do grêmio escolar da escola estadual Antônio Rui Cardoso. Ele reclama da falta de remédios nos pronto-socorros e a falta material escolar de qualidade.

O professor da mesma escola, Willian Felipe, é integrante da APEOESP e reclama do alto valor da passagem do transporte público no município, hoje em R$ 2,70.

faixas
Faixa pedem a punição dos envolvidos no desvio de recursos

Atanágoras Lopes, da CSP Conlutas (Central Sindical Popular – Coordenação Nacional de Lutas), comparou o Brasil ao Egito, dizendo que se houver luta do povo, tudo será melhor e o quadro político negativo será sanado.

Miguel Leme, coordenador da APEOESP, diz que Taboão da Serra está com um déficit de 7 mil moradias e reivindica a cassação dos vereadores corruptos.  Leme ainda diz que o prefeito deve deixar o cargo, mas que a vice-prefeita, Professora Márcia (PT), não deve assumir, pois também faz parte da gestão do governo Evilásio.

Toninho, presidente do PSOL de Embu das Artes e ativista do Movimento Negro, expôs o apoio na luta contra a corrupção em Taboão da Serra.

O líder do MTST, Guilherme Boulos, criticou o atendimento no PS Antena, e lembrou que os milhões desviados dariam para construir cerca de mil casas à população carente.

A próxima manifestação contra a corrupção deve ocorrer no dia 5 de Julho, na Praça Nicola Vivilecchio.

Por Nicolli Oliveira

Exclusivo para o site Taboão em Foco

Veja também